Pelotão Thiago Arias se prepara para o 7K VTV

O pelotão Thiago Arias Personal Studio estará presente em mais uma importante prova do pedestrianismo da cidade: o 7K VTV.

A corrida ocorre no dia 26 de agosto (domingo), com largada prevista para às 08h no Aquário, na Ponta da Praia e chegada no Emissário Submarino, no José Menino.

As inscrições seguem abertas até a próxima sexta-feira (dia 17) pelo site www.minhasinscricoes.com.br/7kvtv

KIT BÁSICO – 3º Lote a partir de 08/08 – R$106,00.

KIT PLUS – 3º Lote a partir de 08/08 – R$127,00.

KIT PREMIUM – Valor único – R$150,00 (Limitado a 200 kits).

Na oportunidade, os alunos Thiago Arias terão benefícios exclusivos, tais como aquecimento pré prova (com professores dos studios), tenda armada próximo ao local de chegada da prova com café da manhã e sessão de recovery com os nossos fisioterapeutas.

Para mais informações, entre em contato com a recepção da sua unidade e boa prova!

 

Você e o seu açúcar de estimação

Falta pouco para o Desafio dos “21 dias sem açúcar” começar!

E esse pode ser o ponta pé inicial para você estimular suas mudanças de hábitos!

Por vezes o vício nos torna resistente e impõe barreiras inexistentes que nos impedem de sair da zona de conforto e iniciar uma mudança. Para quebrarmos esses paradigmas, pensamos neste desafio como forma de estimular e incentivar novas atitudes, a fim de seguirmos rotinas mais saudáveis que serão levadas para o resto da vida de forma natural e prazerosa.

Está cada vez mais freqüente a dificuldade que as pessoas enfrentam para diminuir o consumo de açúcar e fontes de carboidratos de alto Índice Glicêmico (IG = velocidade que a glicose é disponibilizada na corrente sanguínea) como pães, massas e bolos na alimentação. Um passo importante é entender e aceitar que nosso paladar é extremamente adaptativo, mas ao mesmo tempo, moldado por anos pelo consumo repetido de alimentos característicos.

Lembra-se da primeira vez que consumiu uma bebida alcoólica? Pouca quantidade já foi suficiente para ficar bem alegre não é mesmo?? Com a freqüência do consumo, sua tolerância aumentou e cada vez mais você precisa de maiores quantidades para sentir aquela mesma “alegria” da primeira vez!!

Já para os amantes da comida japonesa, pense na primeira vez que experimentou aquele sushi, sashimi ou temaki?? Aposto que sentiu um gosto estranho, talvez até certo “nojo” (risos). Passados algum tempo, hoje se tornou um vício delicioso!!

Com os carboidratos de alto IG e açúcares isso ocorre de forma ainda mais acentuada pelos estímulos hormonais associados, ou seja, quanto mais você consome, maior a quantidade necessária para lhe satisfazer. Entendeu?? A coisa vira uma bola de neve.

Então, vamos virar esse jogo!!

Primeiro passo: substitua o açúcar por poucas gotas de adoçantes. No começo seu paladar vai estranhar, alguns podem apresentar irritabilidade, dores de cabeça, principalmente na primeira semana. Isso porque seus receptores de açúcares “sentem” a ausência dele e informam seu organismo que algo está faltando. Nesta hora, persista!

Esses sintomas passam rápido e você futuramente conseguirá ingerir um suco de limão e maracujá puro! Quer apostar??? Parabéns, você reeducou seu paladar! Liberte-se dessas amarras de padronizações do gosto muito acentuado de doce e salgado!
As recompensas logo virão: sono mais tranquilo e recuperador, muito mais energia para seus treinos, maior concentração no trabalho e estudos. Fisiologicamente suas células ficam menos inflamadas, menos dores e melhor recuperação.

Vamos lá! O que está faltando para sair da sua zona de conforto e arriscar? Para casos mais específicos e maiores orientações procure seu médico e nutricionista.

Treinador x Animador de Plateia

Já faz algum tempo que penso em escrever um texto sobre o assunto!!

Afinal, observo que a área da saúde vem crescendo cada dia mais com novas modalidades e, principalmente, com as pessoas ficando cada vez mais exigentes, estabelecendo uma obrigatoriedade ao profissional de educação física no tocante a capacitação, objetivando atender toda essa crescente demanda.

Durante muitos anos o educador físico era tido como aquele que motivava às outras pessoas no treinamento diário, na superação de seus limites, na diminuição do seu tempo em uma prova, porém muitas vezes não estava preocupado se aquilo que o seu aluno estava fazendo tinha coerência ou se realmente estava sendo realizado de maneira correta.

Ao longo do tempo percebi que os reais ajustes não eram feitos através de gritos de motivação, de palmas ou de dança, mas sim, por meio de correções, instruções, de comando verbal e visual para que os movimentos tivessem uma progressão correta.

Quantas vezes você não viu professores gritando, motivando um aluno que estava com um padrão de movimento totalmente errado, mas mesmo assim, estavam mais preocupados em animar a plateia do que assumir o papel de educador e cumprir o seu papel?

Isso é muito perigoso!!

Obvio que é necessário motivação durante os treinos e o treinador tem grande responsabilidade nisso, todavia existe uma grande diferença entre você orientar ou educar, ou mesmo, se preocupar apenas em animar, anulando sua responsabilidade dentro da sala de treino.

É muito perigoso motivarmos um aluno que ainda não tem habilidade para levantar um peso maior do que suporta, simplesmente por que você acha que ele pode. E, possivelmente, ele possa mesmo!!

Mas para isso, requer tempo, disciplina e educação.

Ao longo do tempo nosso campo de visão fica um pouco mais seletivo, crítico e preventivo e como educador é importante avaliar esses pontos, para que o aluno tenha plena segurança no educador físico e consiga atingir seus objetivos de forma plena.

 

Fascite plantar em Corredores

A “Fascite Plantar” é comum em pessoas na faixa etária dos 30 aos 50 anos, podendo prejudicar corredores, quando desinformados, levando a dores do calcanhar até a base dos dedos. Essa inflamação é uma das principais lesões em corredores, representando 20% das lesões esportivas.

Confira um relato comum entre esse grupo de lesionados: “Uma dor intensa na planta do pé, na primeira pisada do dia ao levantar da cama, que alivia na posição sentada e piora com a sobrecarga na região”.

Mas o que é Fáscia e Fascite Plantar? A fáscia plantar é uma estrutura de proteção dos músculos, com poder de absorver os impactos e proteger os 26 ossos dos pés. Ela não só sustenta, mas também é presa aos músculos intrínsecos e aos ligamentos do pé. Ao caminhar ou correr, a planta do pé distribui o peso do corpo e absorve os impactos em vários pontos da fáscia, um deles no osso do calcanhar (calcâneo), e as forças de tensão ao longo do músculo da panturrilha preso ao osso, podendo desencadear um processo inflamatório, ou fibrose ou até de degeneração destas fibras faciais.

Daí a denominação de “Fascite Plantar”.

Principais causas da Fascite Plantar:
– Alterações posturais e da pisada;
– Encurtamento dos músculos da panturrilha e diminuição da força dos músculos plantares;
– Obesidade ou súbito aumento de peso;
– Traumas locais;
– Erros de treinamento, aumento com súbita sobrecarga de velocidade, intensidade e duração de treinos e corrida; corrida em aclives e terrenos irregulares;
– Calçados inadequados.

Principais Sintomas
– Dor no primeiro passo ao levantar;
– Dor na palpação debaixo dos pés e ao andar;
– Sola do pé mais rígida, retraída e sensível;
– Interrupção da corrida ou treino devido ao aumento da dor.

O que fazer para prevenir a Fascite Plantar
– Alongar sempre os músculos da panturrilha;
– Alongar a planta do pé;
– Massagear a sola do pé toda com uma bolinha de tênis é uma opção muito interessante.

Dicas:
– Antes de começar a treinar procure um profissional de Educação Física para prestar assessoria e adequar seu treino;
– Realize uma avaliação postural e de pisada com um Fisioterapeuta;
– Aos primeiros sinais de dores na região plantar do pé, procure um profissional adequado para uma completa avaliação e o correto diagnóstico para um tratamento eficaz.

Alceu Nascimento Miranda Junior
CREFITO: 11353 – F